Pular para o conteúdo principal

O QUE É TCC?

Trabalho de Conclusão de Curso. Criado em 1983, como disciplina obrigatória no curso de Pedagogia da Universidade de Franca, logo tornou-se institucional e se estendeu a todos os cursos de graduação. Refere-se a uma dissertação científica, do cunho monográfico iniciático, que os alunos concluintes devem elaborar.

Procurou-se, por meio desta exigência, criar espaço para os estudantes iniciarem-se no campo da pesquisa, buscando ampliar os conhecimentos teóricos acumulados ao longo da graduação.

Tem como uma de suas especificidades demonstrar, através do estudo científico, o conteúdo do que foi assimilado durante o período de graduação do aluno.
Através de um tema bem estabelecido e centrado no campo de abrangência da carreira escolhida, o TCC consiste numa prática de aprofundamento, investigação, incursão em bibliografias criteriosamente selecionadas, apontamento de diretrizes e conclusões próprias, tendo como embasamento o conhecimento figurante na contemporaneidade acerca da temática eleita.
À luz dos avanços sociais, técnicos, científicos e teóricos alçados pela humanidade hodiernamente, o TCC figura como um elemento contribuinte na evolução dos sistemas educacionais do Brasil, uma vez que sua autenticidade e originalidade sejam criteriosamente respeitadas.
Obstante da consideração errônea que classifica o TCC como um trabalho de pesquisa “mais extenso”, a verdadeira concepção do Trabalho de Conclusão de Curso está ligada à profundidade de estudo e investigação do tema, sua comparação com a literatura vigente, a emissão inédita de conclusões e apontamentos que direcionam à novas descobertas e caminhos para o viés da continuidade de tais estudos por terceiros, ou novas gerações.
A execução de um TCC exige planificação pormenorizada, pesquisa aprofundada, levantamento bibliográfico, coleta de dados, desenvolvimento textual pertinente e estritamente ligado ao tema eleito. É recomendável que seja precedida por um projeto, requisito que além de efetuar a prospecção do futuro trabalho, auxilia na fragmentação e execução de suas partes, ainda que estas, como resultado final, apresentem congruência e fluidez em seqüência, refletindo em um trabalho homogêneo e consistente.
O Trabalho de Conclusão de Curso, bem como a Monografia, costuma causar apreensão e ansiedade nos estudantes, em função da normatização de sua apresentação, e das técnicas pormenorizadas para sua elaboração.
Um TCC deve tendenciosamente, para seu pleno sucesso, estar em consonância com as normas ABNT de produção científica, que primam por uma padronização com relação à redação empregada e com relação à disposição textual no papel em termos de espaçamentos, componentes pré-textuais (como capa, folha de rosto, resumo, sumário, epígrafe, dentre outros), além de outros quesitos referentes à elaboração de um trabalho acadêmico.
O TCC enquanto máxima elaboração científica em consonância direta com a obtenção do bacharelado em qualquer área do conhecimento humano, deve ser constituído e elaborado de forma minuciosa e seqüencial, centrando seu foco no tema selecionado, ainda que discorrendo brevemente acerca de assuntos circundantes a ele.
Assim como a construção de todo e qualquer trabalho científico, a confecção do TCC deve obedecer aos requisitos primordiais a fim de uma produção original e com base em renomados conhecimentos já figurantes na atualidade, para em conclusão final, apresentar de alguma forma, progressos e novas informações pertinentes ao progresso social, científico e tecnológico do País.


A forma estrutural do TCC é semelhante a da monografia, não querendo eliminar as possíveis diferenças entre os dois trabalhos científicos. O importante é frisar que todo tipo de produção científica tem por máxima finalidade impulsionar progressos tangíveis à evolução da nação, seja em nível de graduação ou pós-graduação.

Postagens mais visitadas deste blog

ATITUDE CIENTÍFICA E SENSO COMUM

Existe grande diferença entre as certezas cotidianas e a atitude científica. As opiniões cotidianas formam o senso comum, criam certezas que são transmitidas de geração a geração, e muitas vezes, se tornam uma verdade inquestionável.

A DIDÁTICA E A FORMAÇÃO DE EDUCADORES

DA EDUCAÇÃO À NEGAÇÃO: A BUSCA DA RELEVÂNCIA
O processo de formação de educadores, inclui componentes curriculares criados para o tratamento de atividades educativas, da prática pedagógica. A Didática tem um papel de destaque entre estes componentes. A análise da atuação da Didática na formação de educadores, tem levantado uma grande discussão. Alguns estudiosos afirmam que a Didática, quando não é inofensiva, pode ser prejudicial. Para que esse assunto seja entendido deve ser estudado dentro do contexto em que se encontra, ou seja, tem que ser analisado dentro do conjunto educacional e politico social.
A Didática estuda o processo de ensino-aprendizagem, este processo está sempre presente, de forma direta ou indireta, no relacionamento humano. De acordo com a abordagem humanista, a relação entre pessoas está no centro do processo de ensino-aprendizagem, já que, o crescimento afetivo leva ao crescimento pessoal. Na abordagem técnica a aquisição de melhores condições de trabalho, tais como: …

"OS ALUNOS DE HOJE NÃO SÃO COMO OS ALUNOS DE ANTIGAMENTE" RUBEM ALVES

Os alunos de hoje, não são mais tão passivos como os alunos de algum tempo atrás. Quando falamos em passividade, é no sentido da não aceitação dos métodos impostos pelos professores. Os alunos da atualidade estão sempre questionando, buscando mudanças e interagindo com os professores. Portanto, podemos dizer que aquele aluno que não questiona, não emite as suas opiniões e não trabalha por mudanças, simplesmente não está exercendo as suas funções de ALUNO atuante. Está mais para um "bem-te-vi" recebendo diploma de professor "urubu".
**VALE RESSALTAR: O texto refere-se a alunos de verdade e não arruaceiros disfarçados de alunos...