Pular para o conteúdo principal

Projeto de Pesquisa

Etapas de elaboração


1.      DELIMITAÇÃO DO TEMA: escolha sobre o que versará o trabalho
-         Requer clareza a respeito do campo do  conhecimento a que pertence o assunto;
-         Deve determinar o lugar que ocupa  no  tempo e no espaço. 

2.      JUSTIFICATIVA: Menciona-se a pretensão  do trabalho e seu valor nos seguintes aspectos:
-         RELEVÂNCIA CIENTÍFICA: O que essa pesquisa pode acrescentar à ciência?
-         RELEVÂNCIA SOCIAL: Que benefício pode trazer à comunidade?
-         INTERESSE: O que levou à escolha do tema?
-         VIABILIDADE: Quais as possibilidades concretas  desta pesquisa?

3.      DELIMITAÇÃO E ENUNCIADO DO PROBLEMA:
-         Situá-lo no tempo e no espaço, localizando as fontes de origem;
-         O problema deve ser formulado de forma interrogativa;
-         O problema deve ser claro e preciso.;
-         O problema deve ser delimitado a uma dimensão viável      

4.      FORMULAÇÃO DE HIPÓTESE:
-         Idéia geral a ser comprovada no decorrer da pesquisa;
-         São respostas provisórias, anteriores à  pesquisa
-         Deve ser fundada em conhecimento prévio;
-         Deve ser verificável;
-         É formulada por uma afirmação;  

5.      ELABORAÇÃO DOS OBJETIVOS: Os objetivos representam o ponto de chegada em relação ao teste da hipótese e indicam o que é pretendido com o desenvolvimento da pesquisa.
-         Objetivo geral: significa traçar as principais metas que nortearão a pesquisa;
-         Objetivos específicos: cada objetivo específico atinge um ponto de vista do tema, um ângulo a ser pesquisado.   

6.      DEFINIÇÃO DA METODOLOGIA: Representa a descrição formal dos métodos e técnicas a serem utilizados na pesquisa. Define os seguintes aspectos:
-         O caminho a ser percorrido: métodos de abordagem e método de procedimentos;
-         Os instrumentos de pesquisa a serem utilizados;
-         Delimitação do universo da pesquisa;
-         Delimitação e seleção da amostra

7.      REFERÊNCIAS TEÓRICAS:
-         Exige capacidade de elaboração própria e espírito crítico;
-         Contribui com informações inovadoras , acrescentando algo novo ao conhecimento já existente;
-         Requer um levantamento bibliográfico cuidadoso, para analisar as contribuições já expressas acerca do assunto, capazes de esclarecer o fenômeno investigado.

8.      CRONOGRAMA:
-         É a previsão do ritmo de desenvolvimento da pesquisa, esclarecendo acerca do tempo necessário para cada uma das fases

9.      PREVISÃO DE RECURSOS:
-         Levantar e arrolar  os recursos materiais e humanos  indicando a proveniência dos mesmos

Postagens mais visitadas deste blog

ATITUDE CIENTÍFICA E SENSO COMUM

Existe grande diferença entre as certezas cotidianas e a atitude científica. As opiniões cotidianas formam o senso comum, criam certezas que são transmitidas de geração a geração, e muitas vezes, se tornam uma verdade inquestionável.

A DIDÁTICA E A FORMAÇÃO DE EDUCADORES

DA EDUCAÇÃO À NEGAÇÃO: A BUSCA DA RELEVÂNCIA
O processo de formação de educadores, inclui componentes curriculares criados para o tratamento de atividades educativas, da prática pedagógica. A Didática tem um papel de destaque entre estes componentes. A análise da atuação da Didática na formação de educadores, tem levantado uma grande discussão. Alguns estudiosos afirmam que a Didática, quando não é inofensiva, pode ser prejudicial. Para que esse assunto seja entendido deve ser estudado dentro do contexto em que se encontra, ou seja, tem que ser analisado dentro do conjunto educacional e politico social.
A Didática estuda o processo de ensino-aprendizagem, este processo está sempre presente, de forma direta ou indireta, no relacionamento humano. De acordo com a abordagem humanista, a relação entre pessoas está no centro do processo de ensino-aprendizagem, já que, o crescimento afetivo leva ao crescimento pessoal. Na abordagem técnica a aquisição de melhores condições de trabalho, tais como: …

"OS ALUNOS DE HOJE NÃO SÃO COMO OS ALUNOS DE ANTIGAMENTE" RUBEM ALVES

Os alunos de hoje, não são mais tão passivos como os alunos de algum tempo atrás. Quando falamos em passividade, é no sentido da não aceitação dos métodos impostos pelos professores. Os alunos da atualidade estão sempre questionando, buscando mudanças e interagindo com os professores. Portanto, podemos dizer que aquele aluno que não questiona, não emite as suas opiniões e não trabalha por mudanças, simplesmente não está exercendo as suas funções de ALUNO atuante. Está mais para um "bem-te-vi" recebendo diploma de professor "urubu".
**VALE RESSALTAR: O texto refere-se a alunos de verdade e não arruaceiros disfarçados de alunos...