Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo. E que posso evitar que ela vá à falência. Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise. Ser feliz é deixar de ser vitima dos problemas e se tornar um autor da própria história. É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma. É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida. Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um não. É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.
Augusto Cury

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Projeto de Pesquisa

Etapas de elaboração


1.      DELIMITAÇÃO DO TEMA: escolha sobre o que versará o trabalho
-         Requer clareza a respeito do campo do  conhecimento a que pertence o assunto;
-         Deve determinar o lugar que ocupa  no  tempo e no espaço. 

2.      JUSTIFICATIVA: Menciona-se a pretensão  do trabalho e seu valor nos seguintes aspectos:
-         RELEVÂNCIA CIENTÍFICA: O que essa pesquisa pode acrescentar à ciência?
-         RELEVÂNCIA SOCIAL: Que benefício pode trazer à comunidade?
-         INTERESSE: O que levou à escolha do tema?
-         VIABILIDADE: Quais as possibilidades concretas  desta pesquisa?

3.      DELIMITAÇÃO E ENUNCIADO DO PROBLEMA:
-         Situá-lo no tempo e no espaço, localizando as fontes de origem;
-         O problema deve ser formulado de forma interrogativa;
-         O problema deve ser claro e preciso.;
-         O problema deve ser delimitado a uma dimensão viável      

4.      FORMULAÇÃO DE HIPÓTESE:
-         Idéia geral a ser comprovada no decorrer da pesquisa;
-         São respostas provisórias, anteriores à  pesquisa
-         Deve ser fundada em conhecimento prévio;
-         Deve ser verificável;
-         É formulada por uma afirmação;  

5.      ELABORAÇÃO DOS OBJETIVOS: Os objetivos representam o ponto de chegada em relação ao teste da hipótese e indicam o que é pretendido com o desenvolvimento da pesquisa.
-         Objetivo geral: significa traçar as principais metas que nortearão a pesquisa;
-         Objetivos específicos: cada objetivo específico atinge um ponto de vista do tema, um ângulo a ser pesquisado.   

6.      DEFINIÇÃO DA METODOLOGIA: Representa a descrição formal dos métodos e técnicas a serem utilizados na pesquisa. Define os seguintes aspectos:
-         O caminho a ser percorrido: métodos de abordagem e método de procedimentos;
-         Os instrumentos de pesquisa a serem utilizados;
-         Delimitação do universo da pesquisa;
-         Delimitação e seleção da amostra

7.      REFERÊNCIAS TEÓRICAS:
-         Exige capacidade de elaboração própria e espírito crítico;
-         Contribui com informações inovadoras , acrescentando algo novo ao conhecimento já existente;
-         Requer um levantamento bibliográfico cuidadoso, para analisar as contribuições já expressas acerca do assunto, capazes de esclarecer o fenômeno investigado.

8.      CRONOGRAMA:
-         É a previsão do ritmo de desenvolvimento da pesquisa, esclarecendo acerca do tempo necessário para cada uma das fases

9.      PREVISÃO DE RECURSOS:
-         Levantar e arrolar  os recursos materiais e humanos  indicando a proveniência dos mesmos

ESTRUTURA DO TRABALHO CIENTÍFICO E ACADÊMICO

PRIMEIRA PARTE - APRESENTAÇÃO


Capa (obrigatório) 

Folha de rosto (obrigatório)
Errata (opcional) 
Dedicatória (opcional)
Agradecimentos (opcional)
Epígrafe (opcional)
Resumo em língua vernácula (obrigatório)
Resumo em língua estrangeira (obrigatório)
Sumário (obrigatório)
Lista de ilustrações (opcional)
Lista de abreviaturas e siglas (opcional)
Lista de símbolos (opcional)

PARTES QUE DEVEM CONTER OS TEXTOS DO TRABALHO

Introdução 
Objetivo Geral
Objetivo Específico
Método
Resultado
Discussão
Conclusão 

PORÇÃO PÓS TEXTUAL DO TRABALHO

Referências (obrigatório) 
Apêndice (opcional) 
Anexo (opcional)
Glossário (opcional)

O QUE É TCC?

Trabalho de Conclusão de Curso. Criado em 1983, como disciplina obrigatória no curso de Pedagogia da Universidade de Franca, logo tornou-se institucional e se estendeu a todos os cursos de graduação. Refere-se a uma dissertação científica, do cunho monográfico iniciático, que os alunos concluintes devem elaborar.

Procurou-se, por meio desta exigência, criar espaço para os estudantes iniciarem-se no campo da pesquisa, buscando ampliar os conhecimentos teóricos acumulados ao longo da graduação.

Tem como uma de suas especificidades demonstrar, através do estudo científico, o conteúdo do que foi assimilado durante o período de graduação do aluno.
Através de um tema bem estabelecido e centrado no campo de abrangência da carreira escolhida, o TCC consiste numa prática de aprofundamento, investigação, incursão em bibliografias criteriosamente selecionadas, apontamento de diretrizes e conclusões próprias, tendo como embasamento o conhecimento figurante na contemporaneidade acerca da temática eleita.
À luz dos avanços sociais, técnicos, científicos e teóricos alçados pela humanidade hodiernamente, o TCC figura como um elemento contribuinte na evolução dos sistemas educacionais do Brasil, uma vez que sua autenticidade e originalidade sejam criteriosamente respeitadas.
Obstante da consideração errônea que classifica o TCC como um trabalho de pesquisa “mais extenso”, a verdadeira concepção do Trabalho de Conclusão de Curso está ligada à profundidade de estudo e investigação do tema, sua comparação com a literatura vigente, a emissão inédita de conclusões e apontamentos que direcionam à novas descobertas e caminhos para o viés da continuidade de tais estudos por terceiros, ou novas gerações.
A execução de um TCC exige planificação pormenorizada, pesquisa aprofundada, levantamento bibliográfico, coleta de dados, desenvolvimento textual pertinente e estritamente ligado ao tema eleito. É recomendável que seja precedida por um projeto, requisito que além de efetuar a prospecção do futuro trabalho, auxilia na fragmentação e execução de suas partes, ainda que estas, como resultado final, apresentem congruência e fluidez em seqüência, refletindo em um trabalho homogêneo e consistente.
O Trabalho de Conclusão de Curso, bem como a Monografia, costuma causar apreensão e ansiedade nos estudantes, em função da normatização de sua apresentação, e das técnicas pormenorizadas para sua elaboração.
Um TCC deve tendenciosamente, para seu pleno sucesso, estar em consonância com as normas ABNT de produção científica, que primam por uma padronização com relação à redação empregada e com relação à disposição textual no papel em termos de espaçamentos, componentes pré-textuais (como capa, folha de rosto, resumo, sumário, epígrafe, dentre outros), além de outros quesitos referentes à elaboração de um trabalho acadêmico.
O TCC enquanto máxima elaboração científica em consonância direta com a obtenção do bacharelado em qualquer área do conhecimento humano, deve ser constituído e elaborado de forma minuciosa e seqüencial, centrando seu foco no tema selecionado, ainda que discorrendo brevemente acerca de assuntos circundantes a ele.
Assim como a construção de todo e qualquer trabalho científico, a confecção do TCC deve obedecer aos requisitos primordiais a fim de uma produção original e com base em renomados conhecimentos já figurantes na atualidade, para em conclusão final, apresentar de alguma forma, progressos e novas informações pertinentes ao progresso social, científico e tecnológico do País.


A forma estrutural do TCC é semelhante a da monografia, não querendo eliminar as possíveis diferenças entre os dois trabalhos científicos. O importante é frisar que todo tipo de produção científica tem por máxima finalidade impulsionar progressos tangíveis à evolução da nação, seja em nível de graduação ou pós-graduação.

KARL MARX E A HISTÓRIA DA EXPLORAÇÃO DO HOMEM

  KARL MARX Nasceu em Treves, na Alemanha (1818-1883). Doutorou-se em Filosofia. Foi redator de uma gazeta liberal em...