Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo. E que posso evitar que ela vá à falência. Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise. Ser feliz é deixar de ser vitima dos problemas e se tornar um autor da própria história. É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma. É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida. Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um não. É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.
Augusto Cury

domingo, 2 de janeiro de 2011

TEXTO, COERÊNCIA E COESÃO


- Halliday e Hasan (1976) afirmaram que a coesão tem a ver com o modo como o texto está estruturado semanticamente. A coesão é a relação semântica entre dois elementos do texto, de modo a ser interpretado por referência ao outro, pressupondo-o.

- Charolles (1978), afirma que coerência e linearidade textual estão relacionados, ou seja, "não se pode questionar a coerência de um texto sem levar em consideração a ordem que aparecem os elementos que o constituem.

- Widdowson (1978) diz que a coesão "é o modo pelo qual as frases ou partes delas se combinam para assegurar um desenvolvimento proposicional..." e revela-se por indices formais, sintáticos, sem apelo ao pragmático. A coerência seria a relação entre os atos ilocucionários que as proposições realizam. É diretamente ligada ao desenvolvimento ilocucional.

- Para Franck (1980), o termo coerência designa "a conexão formal e de conteúdo entre elementos sequenciais que coloca estes elementos em relação uns com os outros e os insere numa forma de organização superior como, por exemplo, nomes em uma lista, frases em texto, atos de fala numa sequência".

- Beaugrande e Dressler (1981), a coesão é a maneira como os constituintes da superfície textual se encontram relacionados entre si, numa sequência, através de marcas linguísticas; é a ligação entre os elementos superficiais do texto. Já a coerência tem como fundamento a continuidade de sentidos, dizendo respeito ao modo como os componentes do mundo textual, isto é, a configuração de conceitos e relações subjacentes à superfície  do texto, são mutuamente acessíveis e relevantes.

- Van Dijk (1981) e Van Dijk e Kintsch (1983), o termo coerência pode ser usado em sentido geral para denotar que alguma forma de relação em sentido ou unidade no discurso pode ser estabelecida.

- Bernárdez (1982), citando Salomon Marcus (1980), diz que a coerência significa uma certa capacidade de atuar como unidade e que coesão se refere à existÊncia de conexão entre as diferentes partes.

- Marcuschi (1983), a coesão refere-se à estrutura da sequÊncia superficial do texto e à sua organização linear sob o aspecto estritamente linguístico. Coerência é o resultado de processos cognitivos operantes entre os usuários de textos.

- Tannim (1984) define coesão como o conjunto de nexos da superfície textual que indicam as relações entre os elementos de um texto; e coerência, em termos de organização de estruturas subjacentes, que fazem com que palavras e sentenças componham um todo significativo para os participantes de uma ocorrência discursiva.