Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo. E que posso evitar que ela vá à falência. Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise. Ser feliz é deixar de ser vitima dos problemas e se tornar um autor da própria história. É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma. É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida. Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um não. É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.
Augusto Cury

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

"OS ALUNOS DE HOJE NÃO SÃO COMO OS ALUNOS DE ANTIGAMENTE" RUBEM ALVES


Os alunos de hoje, não são mais tão passivos como os alunos de algum tempo atrás. Quando falamos em passividade, é no sentido da não aceitação dos métodos impostos pelos professores.
Os alunos da atualidade estão sempre questionando, buscando mudanças e interagindo com os professores.
Portanto, podemos dizer que aquele aluno que não questiona, não emite as suas opiniões e não trabalha por mudanças, simplesmente não está exercendo as suas funções de ALUNO atuante. Está mais para um "bem-te-vi" recebendo diploma de professor "urubu".

**VALE RESSALTAR: O texto refere-se a alunos de verdade e não arruaceiros disfarçados de alunos...

DOENÇAS DO SISTEMA NERVOSO


Por Lucas Timóteo

Acidente Vascular Cerebral (AVC)
É um distúrbio grave do sistema nervoso. Pode ser causado tanto pela obstrução de uma artéria, que leva à isquemia de uma área do cérebro, como por uma ruptura arterial seguida de derrame. Os neurônios alimentados pela artéria atingida ficam sem oxigenação e morrem, estabelecendo-se uma lesão neurológica irreversível. A percentagem de óbitos entre as pessoas atingidas por AVC é de 20 a 30% e, dos sobreviventes, muitos passam a apresentar problemas motores e de fala.
Algum dos fatores que favorecem o AVC são a hipertensão arterial, a elevada taxa de colesterol no sangue, a obesidade, o diabetes melito, o uso de pílulas anticoncepcionais e o hábito de fumar.

Ataques Epilépticos
Epilepsia não é uma doença, mas sim um sintoma que pode ocorrer em diferentes formas clínicas. As epilepsias aparecem, na maioria dos casos, antes dos 18 anos de idade e podem ter várias causas, tais como anomalias congênitas, doenças degenerativas do sistema nervoso, infecções, lesões decorrentes de traumatismo craniano, tumores cerebrais, etc.

Cefaléias
As Cefaléias são dores de cabeça que se podem propagar pela face, atingindo os dentes e o pescoço. A sua origem está associada a diversos fatores como tensão emocional, distúrbios visuais e hormonais, hipertensão arterial, infecções, sinusites, etc.
A enxaqueca é um tipo de doença que ataca periodicamente a pessoa e se caracteriza por uma dor latejante, que geralmente afeta metade da cabeça. As enxaquecas são frequentementes acompanhadas de fotofobia (aversão a luz), distúrbios visuais, náuseas, vômitos, dificuldades em se concentrar, etc. As crises de enxaqueca podem ser desencadeadas por diversos fatores, tais como tensão emocional, tensão pré-menstrual, fadiga, atividade física excessiva, jejum, etc.

Doenças degenerativas do sistema nervoso
Existem vários fatores que podem causar morte celular e degeneração. Esses fatores podem ser mutações genéticas, infecções virais, drogas psicotrópicas, intoxicação por metais, poluição, etc. As doenças nervosas degenerativas mais conhecidas são a esclerose múltipla, a doença de Parkinson, a doença de Huntington e a doença de Alzheimer.

Esclerose Múltipla
Manifesta-se por volta dos 25 a 30 anos de idade e é mais frequente nas mulheres. Os primeiros sintomas são alterações da sensibilidade e fraqueza muscular. Pode ocorrer perda da capacidade de andar, distúrbios emocionais, incontinência urinária, quedas de pressão, sudorese intensa, etc. Quando o nervo ótico é atingido, pode ocorrer diplopia (visão dupla ). 

Doença de Parkinson
Manifesta-se geralmente a partir dos 60 anos de idade e é causada por alterações nos neurônios que constituem a "substância negra" e o corpo estriado, dois importantes centros motores do cérebro. A pessoa afetada passa a apresentar movimentos lentos, rigidez corporal, tremor incontrolável, além de acentuada redução na quantidade de dopamina, substância neurotransmissora fabricada pelos neurônios do corpo.

Doença de Huntington
Começa a manifestar-se por volta dos 40 anos de idade. A pessoa perde progressivamente a coordenação dos movimentos voluntários, a capacidade intelectual e a memória. Esta doença é causada pela morte dos neurônios do corpo estriado. Pode ser hereditária, causada por uma mutação genética.

Doença de Alzheimer
Esta doença manifesta-se por volta dos cinquenta anos e caracteriza-se por uma deterioração intelectual profunda, desorientando a pessoa que perde, progressivamente a memória, as capacidades de aprender e de falar.
Esta doença é considerada a primeira causa de demência senil. A expectativa média de vida de quem sofre desta moléstia é entre cinco e dez anos, embora atualmente muitos pacientes sobrevivam por 15 anos ou mais.
Através do Alzheimer, ocorrem alterações em diversos grupos de neurônios do córtex cerebral e é uma doença hereditária.
Não existe uma prevenção possível para esta doença. Só um tratamento médico-psicológico intensivo do paciente, que visa mantê-lo o maior tempo possível em seu tempo normal de vida. Com a ajuda da família e a organização de uma assistência médico-social diversificada é possível retardar a evolução da doença.
Em 1993, a Food and Drug Administration autorizou a comercialização nos Estados Unidos, do primeiro remédio contra a doença - THA (tetrahidro-amino-acrime) ou tacrine.

Doenças infecciosas do sistema nervoso
Vírus, bactérias, protozoários e vermes podem parasitar o sistema nervoso, causando doenças de gravidade que depende do tipo de agente infeccioso, do seu estado físico e da idade da pessoa afetada.
Existem diversos tipos de vírus podem atingir as meninges (membranas que envolvem o sistema nervoso central), causando as meningites virais. Se o encéfalo for afetado, fala-se de encefalites. Se a medula espinal for afetada, fala-se de poliomielite. Infecções bacterianas também podem causar meningites.
O protozoário Plasmodium falciparum causa a malária cerebral, que se desenvolve em cerca de 2 a 10% dos pacientes. Destes, cerca de 25% morrem em consequência da infecção. O verme platelminto Taenia solium (a solitária do porco) pode, em certos casos, atingir o cérebro, causando cisticercose cerebral. A pessoa adquire a doença através da ingestão de alimentos contaminados com ovos de tênia. Os sintomas são semelhantes aos das epilepsias.

CONSIDERAÇÕES
Podemos concluir que no sistema nervoso podem existir vários tipos de doenças como, por exemplo, esclerose múltipla, Parkinson e Alzheimer.
Estas doenças são muito complexas e exigem tratamento, caso contrário podem até levar à morte.

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

ATITUDE CIENTÍFICA E SENSO COMUM


Existe grande diferença entre as certezas cotidianas e a atitude científica. As opiniões cotidianas formam o senso comum, criam certezas que são transmitidas de geração a geração, e muitas vezes, se tornam uma verdade inquestionável.
A atitude científica questiona a veracidade de nossas certezas, de nossa aceitação imediata às coisas, da ausência de critica e da falta de curiosidade. Assim, onde vemos fatos e acontecimentos, a atitude cientifica vê problemas e obstáculos, aparências que precisam ser explicadas e, em certos casos, afastadas.
Em praticamente todos os aspectos podemos dizer que o pensamento cientifico opõe-se às características do senso comum. Visto que este é:
- objetivo, pois procura as estruturas universais e necessárias das coisas investigadas.
- quantitativo, ou seja, procura avaliar minuciosamente coisas que aparentemente são diferentes.
- homogêneo, isto é, busca as leis gerais de funcionamento dos fenômenos, que são as mesmas para os fatos que nos parecem diferentes.
- generalizador, pois reúne detalhes sob as mesmas leis, os mesmos padrões ou critérios de medida, mostrando que possuem a mesma estrutura, embora sejam percebidas como diferentes.
- diferenciador, pois distingue entre os que parecem iguais, desde que obedeçam a estruturas diferentes.
- só estabelece relações de causas após investigar a origem ou estrutura do fato estudado e suas relações com outros semelhantes e diferentes.
Dentre outros aspectos, a atitude cientifica resulta de um trabalho paciente e lento de investigação e de pesquisa racional, sujeita a mudanças.

Características do Senso Comum

Em oposição à atitude cientifica o senso comum é:
- subjetivo, isto é, exprime sentimentos e opiniões individuais ou de grupos, variando de uma pessoa para outra ou de um grupo para outro, dependendo das condições em que vivemos.
- em conseqüência da subjetividade, leva a uma avaliação qualitativa das coisas conforme os efeitos que produzem em nossos sentidos ou conforme os desejos que despertam em nós e o tipo de finalidade ou de uso que lhes atribuímos.
- agrupa-se ou distingue-se de acordo com as coisas e os fatos que nos pareçam semelhantes ou diferentes.
- individualizador, isto é, cada coisa ou cada fato nos parece como um indivíduo distinto dos outros por possuir qualidades que nos afetam de maneira diferente.
- generalizador, pois tende a reunir numa só opinião ou numa só idéia coisas e fatos julgados semelhantes.
- em decorrência das generalizações, tende a estabelecer relações de causa e efeito entre as coisas ou fatos.
- por serem subjetivos, generalizadores, expressões de sentimento de medo e angustia e de incompreensão quanto ao estudo cientifico, nossas certezas cotidianas e o senso comum de nossa sociedade cristalizam-se em preconceitos com os quais passamos a interpretar a realidade que nos cerca e todos os acontecimentos.
Conclui-se que a atitude cientifica distingue-se do senso comum porque este é uma opinião baseada em hábitos, preconceitos, tradições cristalizadas, enquanto a primeira baseia-se em pesquisas, investigações metódicas e sistemáticas e na exigência de que as teorias sejam internamente coerentes e digam a verdade sobre a realidade. A ciência é conhecimento que resulta de um trabalho racional.

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Romance SENHORA - Aurélia, exemplo de grande empreendedora e administradora




Romance “Senhora”, de José de Alencar


O escritor José de Alencar foi um dos primeiros escritores românticos do Brasil. Autor de grandes obras marca o romantismo brasileiro com a personagem de Aurélia Camargo, em Senhora. Esta obra retrata o amor acima das dificuldades, pois Aurélia é uma jovem bela que luta por seus sonhos e ideais, mesmo após ser traída.

A jovem Aurélia Camargo, moça de origem humilde, torna-se rica após receber a herança do avô, aos l8 anos, quando é apresentada à sociedade do Rio de Janeiro. Dona de uma esplendorosa beleza, Aurélia encanta a todos. Tendo ficado órfã de mãe há pouco tempo, tem em sua companhia uma parenta viúva, D. Firmina Mascarenhas, mas é Aurélia quem governa a casa como bem entende.
A mãe de Aurélia, Emília era casada com um médico pobre, Pedro Camargo, filho natural de um rico fazendeiro, Lourenço de Sousa Camargo, que desconhece o casamento do filho. Este parte para a fazenda paterna, mas não tendo coragem para enfrentá-lo, envia cartas amorosas à esposa e dinheiro para seu sustento. Após um ano de separação, o casal se reencontra, e desse reencontro, nasce o primeiro filho do casal, Emílio, que o pai só conhece aos dois meses de idade. Passam a viver algumas semanas juntos e outras separados. Nasce a segunda filha, Aurélia.
Aurélia, na infância, leva vida modesta em companhia da mãe e do irmão, jovem fraco que é ajudado em seu trabalho de pela irmã. Morto o irmão, a mãe devota todo seu amor para Aurélia, ela preocupa-se com o destino da filha, que precisa se casar, Aurélia atende aos apelos. Vários candidatos aparecem inclusive o tio Lemos irmão de sua mãe e ela o repele.
É Fernando Seixas que conquista a atenção de Aurélia, passa a freqüentar-lhe a casa, porém, sentindo-se constrangido em namorar moça tão pobre. O senhor Lemos resolve interferir nos acontecimentos e ao encontrar o pai de Adelaide Amaral lhe fala sobre as vantagens do casamento da moça, já prometida a outro, com Seixas. O pai que não gosta do pretendente da filha, pois o mesmo é pobre decide ajeitar o casamento de Adelaide com Seixas. O rapaz apesar de amar Aurélia vê mais vantagens no casamento com Adelaide e aceita a proposta do pai da moça que lhe oferece como dote 30 contos de réis.
O jovem Seixas vai se afastando cada vez mais da casa de Aurélia, a moça fica muito infeliz, por outro lado, reencontra o avô, que decidira reconhecer mãe e filha. Desafortunadamente, tanto a mãe quanto o avô logo falecem. Um comerciante visita Aurélia e lhe traz o testamento de Lourenço de Sousa Camargo, reconhecendo-a como sua herdeira universal, lhe apresentando uma lista de seus bens e explicando sobre os negócios pendentes.
Os parentes, antes distantes, tão logo sabem sobre a herança, correm para vê-la, inclusive o tio Lemos que consegue ser nomeado seu tutor. Mas Aurélia sabe como conduzir seus negócios, pois a mesma aprendeu quando ajudava seu irmão.
Aurélia solicita de seu tutor ajuda para conseguir um marido, o escolhido é Seixas que ela conheceu quando ainda era pobre, seu tutor faz a proposta de casamento a Seixas lhe oferecendo 100 contos de réis que o mesmo aceita sem que lhe seja revelado quem é sua noiva.
O casamento de Aurélia e Seixas é uma farsa, eles vivem separados, e a esposa na intimidade vive humilhando o cônjuge. Fernando, todavia, trabalha e realiza um negócio que lhe permite levantar o dinheiro que devia a Aurélia. Desse modo, propõe-se a restituir-lhe a quantia em troca da separação. Considerando o gesto uma prova da regeneração de Fernando, Aurélia, que nunca deixara de amá-lo, é vencida pelo amor, o que leva à consumação do casamento.

O romance apresentado surgiu no final do século XVIII. Onde o autor José de Alencar, usou como tema básico do livro o casamento por interesse devido o recebimento de uma herança e a discutível moral burguesa.
Nota-se a crítica de Alencar à sociedade daquela época, que não admitia a emancipação e as moças se faziam acompanhar pelos pais ou parentes.
José de Alencar, por sua vez, utiliza na literatura o "Casamento", sendo um retrato fiel de posições políticas e sociais. Ele defendia o "casamento" entre o nativo e o europeu colonizador, numa troca de favores: uns ofereciam a natureza virgem, um solo esplêndido; outros a cultura.
Mostrando um jogo de interesses, onde, retrata-se a sociedade imperial carioca da época, ”o Rio de Janeiro do Segundo Reinado”. Na trama do romance Senhora, há uma situação invertida. No romance, um homem se vende a uma mulher, com todas as formalidades comerciais, dinheiro, documentação, assinatura e posse da mercadoria.
Dessa forma, pode-se perceber como a evolução da condição feminina foi bastante lenta e no Brasil teve marcos básicos, dentre os quais pode-se citar o Estatuto da Mulher Casada, que alterou o Código Civil; a Consolidação das Leis do Trabalho; a Consolidação das Leis da Previdência Social e as anteriores Cartas Magnas culminando com a atual Constituição Federal.
À mulher não era permitido estudar e aprender a ler. Nas escolas, administradas pela igreja, somente lhes eram ensinadas técnicas manuais e domésticas. Esta ignorância lhe era imposta de forma a mantê-la subjugada desprovendo-a de conhecimentos que lhe permitissem pensar em igualdade de direitos. Era educada para sentir-se feliz como "mero objeto" porquanto só conhecia obrigações.
Com a mudança da Corte portuguesa para o Brasil foram abertas algumas escolas não religiosas onde as mulheres podiam estudar, entretanto, restritas aos conhecimentos de trabalhos manuais, domésticos e a gramática do português de Portugal a nível do antigo primário.
Com a Constituição de 1824 surgiram escolas destinadas à educação da mulher, mas, ainda, voltada a trabalhos manuais, domésticos, cânticos e ensino brasileiro de instrução primária. Ainda era vedado que mulheres freqüentassem escolas masculinas. A vedação da mulher ao conhecimento escolar tinha dois motivos básicos, em primeiro lugar o convívio entre homens e mulheres, o que, segundo a igreja, poderia provocar relacionamentos espúrios, e, em segundo lugar porque sendo a instrução dada aos homens em nível mais elevado, não poderiam mulheres freqüentar as mesmas escolas. Somente no início do século XX foi permitido que homens e mulheres estudassem juntos.

Assim, o romance "Senhora" é um clássico da literatura brasileira. Uma história de "amor às avessas", com muito drama e muita crítica. O livro faz diversas críticas sociais, criticando a ganância, a vaidade, a falsidade e etc. Porém, o clímax da história toda está em volta do casamento por dinheiro e a posição de subserviência da mulher.



REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ALENCAR, José de. Senhora. 1ª Ed. São Paulo: Editora Rideel, 1997.

PILETTI, Nelson e PILETTI, Claudino. História e Vida, V2. São Paulo: Ática, 1995. P. 93, 94 e 95.

domingo, 25 de março de 2012

WebQuest


O conceito foi criado em 1995 por Bernie Dodge, professor estadual da Califórnia (EUA) tendo como proposta metodológica o uso da Internet de forma criativa. WebQuest (do inglês, demanda da Web) é uma atividade de aprendizagem que aproveita a imensa riqueza de informações que, dia a dia, cresce na Web
Para desenvolver uma WebQuest é necessário criar um site que pode ser construído com um editor de HTML, serviço de blog ou até mesmo com um editor de texto que possa ser salvo como página da Web

Uma WebQuest tem a seguinte estrutura: 
- Introdução: apresenta as informações básicas aos alunos, orientando-os sobre o que vão encontrar na atividade proposta. Além disso, tem como objetivo despertar o interesse deles para realizar o trabalho, isto é, motivá-los. 
- Tarefa: descreve o que os alunos deverão elaborar ao finalizar o trabalho. Os projetos podem ser uma página Web, uma apresentação em PowerPoint ou uma exposição oral do tema trabalhado (de acordo com o que o professor planejou). 
- Processo: especifica os passos que os alunos devem seguir para a concretização da tarefa, incluindo orientações sobre como subdividir as tarefas, detalhes dos papéis que podem assumir cada um dos alunos e estratégias de trabalho. 
- Recursos: disponibiliza aos alunos uma lista de sites Web a serem consultados para a realização do trabalho. Previamente, o professor tem que verificar se esses sites são confiáveis e estão atualizados de acordo com o tema em questão. Essa seleção de sites facilita a navegação pela rede e evita desvios do tema central. Podem ser incluídos outros recursos que não sejam da Internet. 
- Avaliação: nessa parte, são explicados os critérios que serão utilizados na avaliação do trabalho. 
- Conclusão: corresponde à finalização da atividade. Apresenta um resumo que leva à reflexão da atividade para reconhecer o que foi aprendido. 

Assim, através de WebQuests, propõem-se aos alunos a resolução de um determinado problema e, ao finalizar a tarefa, eles expõem de algum modo suas conclusões. 

Benefícios: 
- O educador moderniza os modos de fazer educação (sincronizado com o nosso tempo/internet).
- Garante o acesso à informação autêntica e atualizada. 
- Promove uma aprendizagem cooperativa. 
- Favorece as habilidades do conhecer (o aprender a aprender). 
- Oportuniza para que os professores de forma concreta se vejam como autores da sua obra e atuem como tal. (acessar, entender e transformar). 
- Favorece o trabalho de autoria dos professores. 
- Incentiva a criatividade dos professores e dos alunos que realizarão investigações com entusiasmo. 
- Favorece o compartilhamento dos saberes pedagógicos, pois é uma ferramenta aberta de cooperação e intercâmbio docente de acesso livre e gratuito. Pelo seu aspecto pedagógico, dinâmico, amplo, informativo e investigativo, estimula:  Professores, Mestres e Doutores das mais diversas áreas e seguimentos e,  alunos. 

 Exemplos de WebQuests, acesse:
 http://www.webquestbrasil.org/criador/procesa_index_autor.php

Referências: 
http://www.webquestbrasil.org/ 
http://pt.wikipedia.org/wiki/WebQuest 
http://webquest.sp.senac.br/textos/oque

A eficácia do cinto de segurança em acidentes automobilísticos

  Autor:   Dr. Antônio Sócrates De Carvalho Júnior RESUMO: Introdução: Os acidentes de trânsito ocasionam, a cada ano, a mort...